Superadobe (contrução ecológica)

Esta técnica desenvolvida nos anos oitenta pelo Iraniano radicado nos Estados Unidos, Nader Khalili.
Os paredes da construção são erguidas com sacos preenchidos com subsolo local.
Os sacos devem ter aproximadamente 50 cm de largura, e pode ser adquirido adquirido em bobinas por metro ou quilo.

A técnica é a seguinte:
Os sacos são cortados no comprimento desejado, depois é preenchido com terra misturada com cimento (18 pastes de terra para 1 de cimento).
O saco fechado com o material é chamado de fiada.
As “fiadas” devem ser colocadas enfileiradas já na posição do comodo a ser construído, e logo em seguida devem ser apiloadas e cobertas por outra fiada e apiloadas novamente, e assim sucessivamente até a parede ser completamente erguida.

Vantagens:
Além de ecológica a técnica é extremamente econômica, pois grande parte do material da construção consiste de terra e pode ser proveniente do próprio local.

A terra é também um excelente isolante natural, resultando em economia nos gastos com refrigeração e aquecimento.

O superadobe não exige mistura específica de areia/argila sendo adaptável até mesmo a regiões com solo extremamente arenoso.

A construção é muito rápida e extremamente simples, para se ter uma ideia, um pequeno grupo de cinco pessoas treinadas pode erguer em apenas vinte dias uma casa de 60m2.

A técnica também não requer grandes conhecimentos técnicos qualquer pessoa pode colaborar na construção de sua própria casa.

O superadobe chegou no Brasil através do Ecocentro IPEC e se tornou o carro chefe da bioarquitetura no Instituto, que dispõe da maior construção deste tipo na América Latina, uma cozinha industrial, comprovando a viabilidade desta técnica mesmo numa obra dentro de rígidas exigências.

Visite os sites:
http://www.omtones.com/superadoe1.html