Soja: uma leguminosa aliada à sua saúde

Surgiu na china, por volta do século XI a.c. e chegou ao ocidente no final do século XV. No início do século XX passou a ser cultivada comercialmente nos Estados Unidos sendo transportada ao Brasil pelos imigrantes japoneses em 1908.

A soja tem sido alvo de estudos e pesquisas por apresentar benefícios à saúde das pessoas:

É um alimento de alta qualidade protéica, sendo considerado  proteína de origem  vegetal. Além de proteína contem ferro, fibras, minerais e vitaminas do complexo B.

Possui também uma gama de componentes bioativos, que vão além da função de alimentar e nutrir. Dentre estes, destacamos:

Fibras dietéticas: As fibras solúveis contribuem para a redução do colesterol e controle dos níveis de açúcar sanguíneo, enquanto as insolúveis auxiliam as funções intestinais, além de contribuir para o controle de peso, uma vez que aumentam a saciedade.

Isoflavonas: Dentre as principais isoflavonas encontradas na soja, podemos citar a genisteína e a daidzeína.

Saponinas: São antioxidantes que atuam sobre o sistema imunológico.

Oligossacarídeos: Estão relacionados com o aumento das flatulências, por isso, indica-se o remolho com a troca da água.

Cuidados para melhor aproveitamento de seus benefícios:

A soja e seus derivados devem passar por processos térmicos de cocção para inativar as frações de Tripsina e eliminar substâncias não nutricionais que podem interferir na digestão protéica.
Sempre que utilizar a soja em grão, devemos observar a questão do fitato: quando retiramos a casca do grão, estamos eliminando o fitato, um composto que dificulta a absorção de alguns minerais (ferro, zinco, cálcio). Por outro lado, pesquisas apontam os efeitos benéficos do fitato com relação à redução do colesterol, triglicérides, controle do excesso de ferro do intestino, etc.

Os benefícios da soja:

Osteoporose: o consumo da soja pode ser um método para prevenir a perda óssea na menopausa.
Climatério: o consumo da soja pode diminuir as ondas de calor durante o período da menopausa.

Doenças cardiovasculares: o consumo da proteína de soja substituindo a proteína animal diminui significativamente os níveis sanguíneos de colesterol total, LDL e triglicérides.
Desnutrição: devido ao seu valor nutritivo, a soja auxilia o combate á desnutrição.
Diabetes: as fibras exercem papel importante na regulação dos níveis de glicose do sangue.

Recomendação:

30 a 60 mg de isoflavona por dia que corresponde a 40 a 60 gramas de soja. (Cada colher de sopa corresponde à cerca de 20 g)