Biodanza

A Biodanza traz inspiração ao movimento, integrando aspectos físicos, psicológicos e espirituais ao nosso dia-a-dia.

Você não precisa ser um dançarino para permitir que o ritmo
rejuvenescedor da música entre em seu corpo, fazendo com que você se
movimento natural e livremente.

Você não tem que ser um dançarino para se permitir reencontrar a
espontaneidade da sua criança interior, muitas vezes escondida sob o
peso da rotina diária.

Você não precisa ser um artista ou bailarino para expressar sua
sensibilidade e experienciá-la em perfeita sintonia com outra pessoa.

Você não precisa ser um artista para exprimir aquilo que está e
sempre esteve dentro de você, esperando pelo momento certo de emergir.

Você apenas precisa estar disposto a dar uma chance a este bailarino ou artista que já vive dentro de você!

Antecedentes da Biodanza:
Biodanza
é um sistema criados nos anos 60 pelo psicólogo e antropólogo Rolando
Toro. Quando professor no Centro de Estudos de Antropologia Médico da
Universidade de Santiago, Chile, Toro começou sua pesquisa com
pacientes psiquiátricos no Hospital Psiquiátrico de Santiago, estudando
o efeitos da integração entre música e movimento. No início dos anos
70, rolando Toro viveu em Buenos Ayres, onde expandiu seu trabalho,
usando sua metodologia com vários grupos de pessoas. Mais tarde, veio
ao Brasil, onde viveu vários anos, introduzindo a Biodanza em diversas
das maiores capitais desse país,

como
de outros países sul-americanos. Nos anos 80, Rolando residiu na
Europa, onde introduziu a Biodanza e a disseminou a um grupo de
professores. Hoje em dia, há muitos grupos e escolas de treinamento de
professores de Biodanza na Itália, Portugal, Espanha, França, Alemanha,
Bélgica, Inglaterra, Suíça e Áustria. O movimento está agora se
expandindo a outros centros da Europa, da África do Sul e do Japão. Nos
Estados Unidos, a Biodanza foi ensinada no passado, e, mais
recentemente, uma escola para grupos e para o treinamento de
professores foi aberta em San Francisco.

Objetivos da Biodanza:

Integrar o pensamento, a sensibilidade e a ação, reconectando-nos a
nossa condição original de ser humano total, que age de acordo com o
que sente e não com aquilo que lhe é pedido pela sociedade, pela
família ou por qualquer outra influência externa. Esta integração é
atingida na Biodanza através de exercícios que nos permitem uma conexão
mais profunda com nossa verdadeira identidade e uma conexão mais forte
com os outros, estimulando nossa capacidade de sermos naturais e
afetivos, um traço que foi perdido na sociedade atual, especialmente em
função do medo.

“Na aula, tive experiências interessantes, consegui quebrar alguns
bloqueios que tinha, como por exemplo, a vergonha de me expor diante de
pessoas que não conheço, expressar sentimentos que por vezes foram
inibidos pelo sistema em que vivemos e, por fim, me conhecer e conhecer
novas pessoas de uma forma diferente, me entregando completamente nas
vivências pedidas em aula.” (Alan, 28 anos)

Quando em conexão com nossa essência verdadeira, escapamos
temporariamente às nossas amarras aos processos mentais e obrigações
sociais, e então somos capazes de nos abrirmos à intuição, à
sensibilidade e à criatividade. Na Biodanza, esse processo é
desenvolvido através de exercícios que são individuais e outros que
focalizam o contato com os outros.

“Desde
os primeiros momentos de contato com o trabalho, fiquei tomada de uma
sensação boa e intensa, que me fez viajar por mim mesma, sem medo de
reconhecer nesse caminho minhas fraquezas, defeitos, pontos tortuosos,
que os temos muitos, pois nós seres humanos sempre estamos em
re-construção.” (Izabel, 46 anos)

A Metodologia da Biodanza:

Criada
pelo antropólogo e psicólogo Rolando Toro, a Biodanza se baseia em um
método teórico-experiencial baseado em preceitos da psicologia,
antropologia e outros ramos da ciência moderna. A Biodanza integra
música, movimento e dança em experiências (chamadas vivências) que nos
permitem viver o “aqui e agora” conectando-nos à nossa identidade mais
profunda, bem como à dos outros e à do universo.

O sistema
compreende cinco linha experiências: vitalidade, sexualidade,
criatividade, afetividade e transcendência. Essas linhas são, em geral,
desenvolvidas simultaneamente nas aulas, mas, dependendo do tema da
aula e do grupo em questão, uma das linhas possa ser privilegiada.

Vitalidade

Vitalidade é a energia dinâmica que existe dentro de nós e nos
impele a viver as possibilidades infinitas que a vida nos oferece,
estimulando a coragem, a determinação, a autonomia e a felicidade.

“Pensei e ouvi os sons desta vivência durante alguns dias, e para
minha surpresa começaram a brotar idéias, atitudes, afetos, tudo
fresquinho e orvalhado, com cores intensas e vibrantes às vezes, e em
outros momentos em tons pastel, como só uma boa terra fértil pode dar.
Acredito, sinceramente que todas essas experiências acrescentaram uma
boa pá de “adubo orgânico” à minha vida. “ (Cecília, 39 anos)

Sexualidade

Estimula e expande nosso prazer no sentido mais amplo, especialmente
no estar presente nos nossos corpos, experimentando nossos cinco
sentidos com prazer e liberdade, ao mesmo tempo que fortalecemos o laço
conosco, com os outros e com a natureza.

Criatividade

Esta
energia pode ser compreendida como a expressão de nossa identidade, de
várias formas. A criatividade abre horizontes e nos permite redescobrir
nossa originalidade, de maneira espontânea. A vida é experienciada a
partir de outros ângulos e novos sentidos.

Afetividade

Esta é a capacidade de dar e receber afeição, básica à vida humana.
Na Biodanza, redescobrimos um cuidado mais profundo por nós mesmos e
pelos outros, resultando em harmonia, proteção e preservação da própria
vida.

“Foi surpreendente como suas aulas não vieram por acaso, a cada aula
eu sentia que era exatamente o tema abordado que eu deveria trabalhar,
as vezes penso se não é criação da minha cabeça, como aquilo que a
gente dá significado acontecem com a gente, mas prefiro pensar que veio
porque deveria porque foi pura magia.” (Gisela, 27 anos)

“As aulas foram mais do que aulas foram verdadeiras terapias, que
contribuíram muito para minha formação enquanto educador, pois, às
vezes, em nossas vidas, estamos preocupados demais com a correria do
dia a dia… com as aulas parei para refletir em minha pessoa como ser
humana que necessita ser cuidado, primeiramente pela auto-afirmação. Os
cuidados afetivos são necessários, a gente vê isso no momento em que
nos sentimos cuidados pelos nossos companheiros.” (Marcos, 40 anos)

Transcendência

A Transcendência expande nossa percepção e nossos limites,
fazendo-nos viver o presente e fruir cada momento com intensidade, em
conexão com as dimensões mais elevadas que a vida oferece.

“A professora falou sobre a melodia da musica, que ela nos suscita
emoções, fui fazer a demonstração com ela, ai foi tão bom… fazia
tempo, ou nem sei se tinha sentido isso antes, mas a energia que sentia
acelerava bem forte meu coração, a única palavra que eu conseguiria
verbalizar: sou pequenina e também gigante.” (Mariane, 35 anos)

A Biodanza procura estimular e desenvolver os potenciais
humanos, permitindo-nos maior contato como nossas forças e virtudes
reais. A sociedade, a cultura e as inibições pessoais levam-nos,
freqüentemente, a desempenhar certos papéis que deixam pouco espaço
para contatar aquilo que realmente somos dentro de nós. Na Biodanza,
procuramos nos reconectar como o enorme potencial que existe em cada
ser humano. Trabalhando com o lado direito do cérebro, que está
conectado com a intuição, com os sentimentos e com a sensibilidade,
reencontramos potenciais esquecidos, expressando a abundância que
existe dentro de nós.